Orgulho do Câncer: uma primeira edição bem-sucedida para aumentar a conscientização sobre a doença

No sábado, 13 de abril, centenas de pessoas se reuniram na Place de la République, em Paris, para quebrar os tabus que cercam o câncer.

Organizada neste sábado na capital, a 1ª edição do Cancer Pride foi um sucesso. Com o apoio do Institut Curie, da Assistência Pública de Paris - Hospitais (AP-HP), da Liga do Câncer e da associação CanChange, o evento começou com uma marcha cívica que provocou uma "forte mobilização ", de acordo com o Centro Regional de Informação e Prevenção da Aids e para a Saúde da Juventude (Crips).

O objetivo deste primeiro Orgulho do Câncer? Remova o tabu e informe o público em geral sobre uma doença que representa a principal causa de mortalidade prematura na França. "O câncer hoje afeta a todos, de perto e de longe, todos nós temos um ente querido, um amigo ou parente que o vive", diz um manifestante ao microfone da BFMTV.

"Queremos ampliar as ações de todas as organizações que lutam contra o câncer e conectá-las no mesmo movimento", afirmam os membros da associação Makesense, por iniciativa deste dia.

Mais de 380.000 casos diagnosticados a cada ano

Após a caminhada dos cidadãos das 13h às 14h, a Cancer Pride instalou a Place de la République em torno de 18 stands temáticos representados por cinquenta associações parceiras, além de marcas como Even, linha de cosméticos projetado para pacientes com câncer.

Câncer, não tabu, todos estaremos exaustos! O que outras pessoas estão dizendocamila andrade on instagram: `` oi gente, tudo bem com vocês?

- Kicking Cancer (@_kickingcancer) 13 de abril de 2019

Discussões, depoimentos, informações, mas também concertos e apresentações de dança pontuaram este evento com o objetivo de "se expressar e em público em torno das questões sociais e sociais do câncer, disseminando conselhos para facilitar o cotidiano das pessoas doentes, compartilhando sem tabu seus história com a doença ", conforme descrito pelo Institut Curie em uma declaração.

Em 2018, cerca de 382.000 novos casos de câncer foram diagnosticados na França e 157.000 pessoas morreram desta doença, de acordo com as últimas estimativas do Instituto Nacional do Câncer.